Mais uma para ficar de olho: Oppo estreia oficialmente na Austrália

Oppo é mais uma companhia chinesa que devemos acompanhar com atenção. Após lançar uma gama de excelente produtos em seu país natal, a empresa asiática está buscando se expandir ao redor do globo, agora desembarcando em território australiano para oferecer dois de seus aparelhos mais atraentes. R7 e R7 Plus serão comercializados por lá em parceria com a varejista local Dick Smith, que possui centenas de estabelecimentos espalhados pelo país. As vendas começam em julho e podem servir como o impulso necessário para a marca oriental crescer ainda mais no viés global do mercado de telefonia móvel.

R7 conta com uma tela de 5 polegadas com resolução Full HD (1920 x 1080), 3 GB de RAM, chipset Qualcomm Snapdragon 615 com processador de oito núcleos e Adreno 405 como placa gráfica, 16GB de memória para o armazenamento interno, expansível via cartões microSD de até 128 GB, câmera principal e frontal de 13 megapixels e 8 megapixels, respectivamente, bateria de 2.320 mAh e Android 4.4 KitKat como sistema operacional, modificado pela interface Color OS 2.1 da própria chinesa, isso tudo por US$ 399, ou R$ 1.236 na cotação atual da moeda estadunidense, desconsiderando os impostos brasileiros, é claro.

R7 Plus, por sua vez, traz mudanças como o display maior em uma polegada, mais espaço nativo para guardar músicas, aplicativos e filmes, bateria avantajada e, naturalmente, dimensões superiores. O "irmão maior" sai por US$ 480, ou R$ 1.492 no câmbio mais recente do dólar, ignorando os tributos governamentais de nosso país. A dupla, de fato, se torna bem interessante e aumentará a competitividade em território australiano, beneficiando, e muito, os moradores de lá, levando em conta a briga por preços baixos como está acontecendo entre a Xiaomi e a Asus.

Como todos os amantes de tecnologia portátil que se preze já sabem, Xiaomi estreou em nossa nação nesta terça-feira desta semana e já começou a oferecer o Redmi 2 por um preço menor do que o encontrado em seus rivais. Oppo, também sediada na China, poderia seguir os passos de sua conterrânea e mirar a Índia e o Brasil como próximos alvos, visto que a quantidade da população e economia emergente criam um cenário propício para o crescimento de uma fabricante estreante. Seria legal ter mais uma opção por aqui, mas, no presente momento, só podemos acompanhar à distância.